ADECOL – Tecnologia pillow

 

Diretor da Adecol fala sobre tecnologia pillow

 

Quem faz uso de adesivos industriais já deve ter se deparado com os termos pillow e pellet. Tratam-se das duas principais opções de formato do Hotmelt antes de ser aplicado no coleiro. Mas será que um detalhe tão simples, como a forma em que o adesivo é apresentado, e não sua formulação, pode influenciar em sua aplicação? “Sim. E muito”, responde o diretor comercial da Adecol, Alexandre Segundo.

 

Mais comum de ser encontrado, o pellet se caracteriza por pequenas esferas, formadas pelo próprio composto do adesivo solidificado por se encontrar em temperatura ambiente. Já no pillow, chamado assim por ter o formato de um pequeno travesseiro (pillow, em inglês), o adesivo é revestido por um coating formulado com as mesmas bases do produto, ou seja, um material que não interfere na aplicação.

 

Mais do que não interferir, auxilia: o pillow foi desenvolvido para não entupir os bicos aplicadores dos coleiros – sistemas de pistão pneumáticos e também sistemas com bombas de engrenagens -, o que reduz os custos em manutenção para os produtores.

Com este formato, também é possível elaborar blends especiais com polímeros flexíveis, garantindo assim uma boa colagem em substratos difíceis como embalagem congeladas, embalagens revestidas de Bopp, entre outras.

 

“Na prática, quando observamos o mesmo tipo de hotmelt em pillow e em pellets dentro dos coleiros, é possível verificar a diferença gerada pelo formato”, afirma Alexandre. Por ter tamanho menor, o que acelera a troca de calor, o pellet começa a se fundir antes. Mas, à medida em que os granulados esquentam, elas se fundem e formam uma massa de cola única e volumosa, praticamente um bloco, retardando o tempo total de fusão do todo.

 

Isto ocorre porque as esferas que estão mais próximas do tambor de aquecimento derretem antes e encapsulam outras unidades que ainda não estão na temperatura adequada. Já no caso dos sachês do pillow, não há este efeito e a fusão ocorre de maneira uniforme.

 

Com isso, além de reduzir o tempo necessário para o adesivo estar pronto para o uso, o pillow proporciona uma massa mais homogênea e que apresenta melhor fluidez na aplicação. Outra vantagem do novo formato está na hora de abastecer os coleiros, uma vez que, por ter uma película protetora em cada sachê, o pillow evita a formação de blocagem dentro da embalagem.

 

“Um aparente detalhe como o formato do adesivo, pode gerar significativa economia de tempo na operação e reduzir pausas para manutenção, com expressiva melhora na produtividade”, avalia Alexandre. Mais novo no mercado, o pillow é produzido com exclusividade na América Latina pela ADECOL, maior fabricante nacional de adesivos industriais.